MEU CLITÓRIS, MINHAS REGRAS!

No século XVI, os anatomistas Realdo Colombo e Gabriele Falloppio reivindicaram a descoberta do Clitóris, atribuindo a ele, pela primeira vez, a função sexual.

Porém a descoberta caiu no esquecimento, retornando apenas na metade do século XIX, quando um alemão publica uma série de desenhos da anatomia clitoriana. E então, em 1901 o clitóris surge no livro de medicina moderna, Gray’s Anatomy, mas some em 1948 (e só reaparece mais tarde com os manifestos feministas).

O que há em comum na história do clitóris? A maioria dos estudos foi conduzida por homens, em uma sociedade patriarcal. Se eles não possuíam um, como entender a importância dele?

Misture a falta de conhecimento com tabu e o que temos? A mulher sem direito ao prazer (e sem direito de se autoconhecer). O que muda, em 1998, quando a Dra. Hellen O`Connel, que é UROLOGISTA (irônico, não?), realiza o primeiro estudo da medicina moderna sobre a anatomia clitoriana. Isso porque, o livro de medicina que ela tinha como referência, não detalhava o clitóris, assim como detalhava a genital masculina.

Graças a ela o mundo conheceu o real formato do clitóris – obrigada, Dra. Hellen! – como você pode visualizar abaixo:

Quer saber mais sobre esse órgão tão censurado ao longo da história? Confira:

Ele é dividido em GLANDE (cabeça), CORPOS CAVERNOSOS (bracinhos), CRUS CLITORIS (mãozinhas) e BULDOS DO VESTÍBULO (perninhas). Gente, é praticamente um serzinho de vida própria. Tem a única e simples função de dar prazer a mulher. Bora saber mais desse ser MARA que nos habita?

Onde ele se esconde? Mira, mira, mira!

O clitóris fica bem ali onde tu tá vendo, só que mais escondido. A gente  só a cabecinha, mas está conectado ao assoalho pélvico e ao redor da entrada da vagina e uretra.

Ele se estende o clitóris que incham com o sangue da excitação e criam uma zona erógena ao redor da vagina;

Tem oito mil terminações nervosas, o dobro de terminações da cabeça do pênis;

O seu tamanho pode variar de oito a 16 cm, podendo dobrar, quando excitado.

 

 

Para nossa tristeza, apenas 30% das mulheres tem orgasmos durante a relação sexual e mais de 82% afirmam ter fingido um orgasmo (esse número pode ser ainda maior).

Infelizmente os estudos sobre o clitóris ainda são poucos e não valorizados.

E por isso o  Projeto Meu Clitóris Minhas Regras nasceu da necessidade de entender o corpo feminino, suas nuances, aceitação do próprio corpo e do prazer.

Através de pesquisa e estudos de auto análise, criamos materiais  didáticos e artes desmistificando a anatomia feminina ainda tão pouco explorada.

A representação de  clitóris, vulvas e peças que simbolizam o feminino conectam uma rede que deseja experienciar seu prazer com um olhar mais amplo e sem culpa.

Um coletivo crescente de mulheres em busca de auto  conhecimento empoderador.

Sororidade na prática voltada para saúde sexual, física e psicológica da mulher.

 

Como financiamos esse trabalho? Através da venda desses artigos criados por várias pessoas que acreditam no projeto.

 

A questão é, quer saber mais, muito mais? Quer ajudar a causa? Dê sugestões! Entra em contato porque queremos te ouvir! meuclitorisminhasregras@gmail.com

Abraços, Gaia